Banner Atlas

ATLAS – UM NOVO TEMPO

Gizelda Santana Morais

PATRONESSE  DA  CADEIRA N° 26


gizelda

INDECISÃO

     

(reverso-2002)

em que tempo está este presente
            
que esconde nos cavalos de força
            
os malcriados centauros?
            
o estopim pode ser
            
um simples copo d´água
            
a mão fechada
            
o ricto no canto da boca
            
o silêncio tanto quanto a apalavra
            
o risco / a mentira
            
o mito
            
(Rosa no Tempo)

Gizelda Morais é sergipana, natural de Campo do Brito, Sergipe, nascida a em 30 de maio de 1939, sendo filha de Antônio Dórea Morais e Maria Pureza Morais. Aprendeu as primeiras letras na cidade de Tobias Barreto (SE), a partir da literatura de livretos de cordel. Tendo estudado no Grupo Escolar Tobias Barreto. Adquirindo o gosto pela leitura passou a ler romances e obras poéticas. Seus primeiros poemas foram escritos aos 12 anos. Iniciou-se na literatura publicando poesias. Graduada em Filosofia e Psicologia pela UFBA, Doutora em Psicologia pela Universidade de Lyon (França), com a tese L'Ecriture et la Lecture, 1970); lecionou nas universidades federais de Sergipe e da Bahia e, como convidada, na Universidade de Nice, na França. Depois de desenvolver uma carreira de professora e pesquisadora universitária, dedicou-se à literatura de ficção. No dia 15 de agosto de 2015 aos 76 anos de idade o movimento literocultural sergipano chorou a partida da versátil mulher, professora e escritora Gizelda Santana Morais que nos deixa um exemplo impar de como trilhar seu caminho com honra e dignidade.

Suas obra nos fascinam e nos mostram a historia de nosso povo ainda que pareça uma obra de ficção.

Suas Obras:

1. Rosa do Tempo (1958);
2. Baladas do Inútil Silêncio (1964);
3. Acaso (1975);
4. Palavra de Mulher (1979);
5. Pesquisa e Realidade de 1º Grau (1980).
6. Verde outono (1982);
7. Aperitivo Poético (1986);
8. Jane Brasil (1990)
9. Ibiradiô: As várias faces da moeda (1990) [Lançado também na França]
10. Cantos ao Parapitinga (1991);
11. Nordestinos (1994) [Lançado em Lisboa].
12. Poemas de Amar (1995) [Em parceria com Núbia Marques e Carmelita Fontes];
13. Esboço para uma análise do significado da obra poética de Santo Souza (1996).
14. Preparem os Agogôs (1997)
15. Absolvo e Condeno (2000)
16. Feliz Aventureiro (2001)
17. Contos (2004)
18. A procura de Jane (2010)

Fique Conectado

Lei Aldir Blanc