Banner Atlas

ATLAS – UM NOVO TEMPO

PATRONO  DA  CADEIRA N° 07


José Francisco de Menezes

Image 11

José Francisco de Menezes (Muniz Santa Fé) - (*01/10/1917 + 29/02/2008) Nasceu a 1º de outubro de 1917, na propriedade Pururuca, filho de Francisco Sales de Menezes - primo de Tobias - e Bernarda Maria de Menezes. Não obstante o pai haver sido um dos políticos de maior prestígio em Tobias Barreto e no Estado, chefiando, por muitos anos, o antigo Partido Republicano, José Menezes não se deixou seduzir pela Política. Chegou, mesmo assim, a entrar em campanhas eleitorais como candidato a Deputado Estadual e a Prefeito. Para Deputado Estadual não conseguiu eleição, mas, candidato a Prefeito, por duas vezes obteve, em ambos os pleitos, brilhante vitória, governando o município de 1947-1950 e de 1955-1958.

Image 11

Autodidata, conferencista, orador vibrante e poeta foi funcionário da Receita Federal. Menino ainda, José Menezes atirou-se à leitura dos livros, quase seu único prazer. Escolhido orador da Biblioteca Tobias Barreto, fez discursos memoráveis em torno do ilustre conterrâneo, seu parente, reunindo-os em livro a que denominou Casa de Tobias.

Publicou artigos na imprensa sergipana e, por ocasião da inauguração da Agência do Banco do Brasil, em Tobias Barreto, a 12 de novembro de 1973, falou em nome das classes produtoras, saudando Camilo Calazans de Magalhães, sergipano, então Diretor do Banco do Brasil.

Discursou em nome dos tobienses, saudando a caravana formada por Miguel Reale, Antonio Paim, Paulo Mercadante, Vamireh Chacon, Nelson Saldanha, Rosa Mendonça de Brito, Jackson da Silva Lima, LAB e outros admiradores de Tobias Barreto, quando aqui estiveram na data de aniversário do filósofo.

Elaborou, também, uma "BIBLIOGRAFIA SOBRE TOBIAS BARRETO DE MENEZES." Proferiu palestra na cidade de Lagarto, sob o título "Tapera da Aldeia de São Thomé - O Apóstolo". Publicou "DA AURORA AO CREPÚSCULO", livro de versos, em 1972, trabalho elogiado por J. Pires Wynne, João Dantas Martins dos Reis, J. Corrêa e Severino Uchoa. Escreveu ainda "VIBRAÇÕES DE FÉ" e "VARIAÇÕES CÍVICAS".

Em 2002, José Francisco de Menezes fez festa, para comemorar seus 85 anos. Homem forte, lúcido e antenado com o que há de novo sobre Tobias Barreto,- a cidade e o gênio, reafirmou seu compromisso pela cultura de sua terra, pelo que é reconhecido e admirado por todos os tobienses.

Fosse no ambiente da família, dos amigos e da comunidade, Sr. Zé Menezes estava sempre disponível, a espera de uma causa para se apaixonar. Nas muitas visitas que fiz ao seu palacete, encontrei-o ladeado por crianças, jovens e adolescentes, estudantes que volta e meia o procuravam para apreender um pouco dos seus saberes, e fazerem suas pesquisas e trabalhos escolares. "Eu mesmo, Tancredo Wanderley, muitas vezes encontrei-me na condição de seu pupilo, ouvindo suas historias, desfrutando de seus conhecimentos e compartilhando de sua ilustre companhia".

Aos 91 anos, José Francisco de Menezes, combalido por enfermidades, foi hospitalizado algumas vezes, e sua partida deste plano material ocorreu na madrugada do dia 29 de fevereiro de 2008. José Francisco de Menezes foi um dos grandes, senão o maior incentivador do movimento cultural tobiense, foi com ele e através dele que surgir o primeiro desejo de termos uma confraria em Tobias Barreto, de modo que a ATLAS prestou-lhe uma justa e oportuna homenagem imortalizando-o como patrono da cadeira de nº 07.


Referências Bibliográficas:

* Antônio Oliveira Silva
* Heidumacson Santos de Macedo
* Luiz Antônio Barreto
* Tancredo Wanderley de Carvalho Filho

Fique Conectado

Lei Aldir Blanc